Curso 3D em BH: Conheça a história do Blender

Por: Carol Cunha 5 de janeiro, 2024

O Blender, que é o software que usamos em nosso curso 3D aqui em BH, fez 30 anos de existência no dia 02 de janeiro de 2024.

Antes de tudo, o Blender além uma ferramenta de modelagem 3D gratuita e de código aberto, é um verdadeiro pacote de programas digitais em uma única solução.

O Blender tem uma história fascinante, que remonta ao estúdio de animação holandês NeoGeo. Seu criador, Ton Roosendaal, desempenhou um papel fundamental na evolução do Blender.  Transformou-o de um software interno para o NeoGeo em uma suíte de criação 3D poderosa e amplamente adotada em todo o mundo.

O começo de tudo

Ton Roosendaal

A jornada do Blender teve início em 1989, quando Roosendaal fundou o NeoGeo, um estúdio de animação 3D que rapidamente se tornou líder na Holanda. Além de criar animações impressionantes, Roosendaal estava constantemente em busca de maneiras de aprimorar as ferramentas disponíveis para sua equipe. Foi, então, durante esse período que um software proprietário de renderização e animação 3D, desenvolvido internamente sob a supervisão de Roosendaal, se tornou a semente que levaria à criação do Blender.

Em seguida, em 1994, Roosendaal escreveu os primeiros arquivos fonte intitulados “Blender”. Contudo, ele foi originalmente concebido como um aplicativo interno para o NeoGeo. Sendo assim, o Blender cresceu a partir de ferramentas pré-existentes, incluindo um ray-tracer construído para o Amiga. O objetivo de Roosendaal era resolver, enfim, uma frustração persistente entre os criativos da época. Como implementar alterações em projetos complexos de forma eficiente? O Blender, com sua abordagem altamente configurável, foi, portanto, a resposta de Roosendaal a esse desafio.

Desse modo, para dar vida ao Blender, Roosendaal investiu suas economias em uma estação de trabalho Silicon Graphics. Consequentemente isso resultou na versão 1.0 do Blender lançada em janeiro de 1995. Essa iteração inicial incorporou ideias inovadoras, como uma única janela subdivisível conforme a preferência do usuário.

Desafios e Obstáculos

Imagem por Cauê Cézar dos Santos via GhostJack-BeloHorizonte

Apesar do Blender continuar a evoluir, o cenário de 3D na época era considerado comercialmente desinteressante. No entanto, Roosendaal enxergava o potencial mágico de criar mundos inteiros em um computador e estava determinado a levar o Blender adiante. Com o fechamento da NeoGeo, Roosendaal e seu sócio Frank van Beek fundaram a Not a Number (NaN) em junho de 1998.  Esta era uma empresa focada tanto no desenvolvimento quanto na comercialização do Blender. Sendo assim, a NaN adotou uma estratégia freemium, oferecendo o download gratuito do software e vendendo chaves para desbloquear recursos mais avançados.

Dessa forma, o Blender, agora sob a asa da NaN, fez sua estreia oficial na SIGGRAPH em 1999. Já conquistando a comunidade profissional. No entanto, apesar do sucesso inicial, a NaN enfrentou desafios financeiros e problemas com investidores. Consequentemente, isso resultou no fechamento da empresa no início de 2002. Antes de tornar-se totalmente de código aberto, o Blender enfrentou dificuldades como um serviço pago, lutando, portanto, para encontrar seu público-alvo. As vendas iniciais foram fracas, e a empresa enfrentou uma crise.

Free Blender

Imagem por Cauê Cézar dos Santos via GhostJack-BeloHorizonte

Foi, então, nesse cenário que Ton Roosendaal tomou uma decisão crucial que moldaria o futuro do Blender. Em maio de 2002, fundou a Blender Foundation como uma organização sem fins lucrativos com a intenção de tornar o Blender open-source.
Seu objetivo era, enfim, criar um monumento público ao Blender. E desse modo, oferecer a todos que contribuíram para o projeto a oportunidade de usá-lo em seus portfólios.

A primeira campanha de crowdfunding, chamada “Free Blender”, foi lançada em julho de 2002. Em apenas sete semanas, a comunidade de 250.000 usuários do Blender arrecadou mais de 110.000 euros. Isso foi o suficiente para recuperar o Blender de seus investidores. Em 13 de outubro de 2002, o Blender foi lançado sob os termos da Licença Pública Geral GNU, tornando-se, portanto, não apenas gratuito, mas, do mesmo modo, de código aberto para sempre. Sendo assim, o sucesso do “Free Blender” estabeleceu o palco para um estilo de desenvolvimento colaborativo, impulsionado por uma comunidade global de voluntários dedicados. A Blender Foundation, com sede em Amsterdã, desempenha um papel fundamental na coordenação e orientação desse esforço. Mas a agilidade e a criatividade são atributos que surgem da colaboração aberta e da paixão compartilhada pelos usuários do Blender.

Evolução Constante

Elephants Dream

Ao longo dos anos, o Blender alcançou diversos marcos, como, por exemplo, o projeto Blender 2.5 em 2008. Este reformulou a interface do usuário, e a introdução do mecanismo de renderização Cycles em 2011. Do mesmo modo, o lançamento da versão 2.8 em 2019 marcou um ponto de virada. Isso solidificou o Blender como uma alternativa legítima aos concorrentes pagos na indústria 3D.

Além dos avanços técnicos, a Blender Foundation desafiou a comunidade a criar curtas-metragens animados em 3D usando ferramentas de código aberto. O sucesso inicial com “Elephants Dream” levou, consequentemente, à criação do Blender Institute em 2007, que produziu uma série de Open Movies em colaboração com artistas renomados.

Com cada projeto aberto, o Blender evolui e se adapta às demandas dos usuários, resultando, portanto, em atualizações regulares e melhorias contínuas. A versatilidade do Blender como uma ferramenta de modelagem 3D gratuita e de código aberto, portanto, é comprovada pela variedade de recursos poderosos que oferece. Desde modelagem de superfícies duras e orgânicas até ferramentas avançadas de escultura digital.

A missão da Blender Foundation é clara: colocar a melhor tecnologia 3D nas mãos de artistas como código aberto, promovendo a inovação, a curiosidade e a excelência técnica.

No presente, o Blender não é apenas uma ferramenta de modelagem 3D; é uma comunidade vibrante e apaixonada. E a Casa dos Quadrinhos, com nosso curso de 3D em BH, estamos orgulhosos de fazer parte dessa comunidade há mais de 10 anos.

O Diretor da Casa dos Quadrinhos com Roosendaal no Festival de Animação de Annecy

Venha você também aprender, em nosso curso de 3D Blender aqui em BH, como modelar, texturizar, iluminar, animar, editar e muito mais no mais completo pacote de software do gênero no mundo. Seja parte dessa comunidade!

Para mais detalhes, entre em contato conosco.

A imagem destacada é de autoria de Art Amin